FAQ – Dúvidas sobre cirurgia de restauração capilar

Curiosidades sobre a calvície

1) O que saber sobre cirurgia de restauração capilar?

R: A cirurgia de restauração capilar ou micro transplante capilar tem cada vez, mais ganhado espaço no arsenal do cirurgião plástico, e de alguns dermatologistas. Com novas técnicas e o aperfeiçoamento das mesmas, tornaram os resultados mais satisfatórios para equipe médica e paciente. Resultados mais harmoniosos e naturais no pós operatórios, tem sido observado constantemente. É uma cirurgia que tem que ser bem planejada e combinado todos os detalhes antes com o paciente, pois muitas vezes são necessários mais de um procedimento com intervalos de 8 meses a 1 ano. E necessário também o tratamento clínico indefinidamente, pois os cabelos transplantados não tendem a cair, porém os cabelos naturais continuam de forma progressiva a cair, se não houver o tratamento clinico medicamentoso. Para se chegar a um bom resultado ao longo prazo deve-se manter os tratamentos clínicos, mesmo após os micros transplantes capilares.
Segunda estatística da International Society of Hair Restoration Surgery- ISHR de 2009 teve-se um aumento no número de cirurgias realizadas pelos seus sócios. Só nos Estados Unidos no ano de 2008 foram mais de 90 mil procedimentos, sendo 92 % em homens e 8 % em mulheres mostrando que se pode fazer a cirurgia nas mulheres quando tiver a indicação. Idade do pacientes ficou 40% entre 30 e 39 anos e 33% entre 40 e 49 anos. Dentro dos tratamentos não cirúrgicos a finasterida e a solução com minoxidil 2 % a 5% foram às medicações mais utilizadas. Uma parcela de 43 % dos pacientes foi submetida a apenas um procedimento e 26 % foi submetido entre um e dois procedimentos sendo a media 1,4 cirurgias por paciente, isto mostra que as técnicas estão melhorando não necessitando muitos procedimentos para se chegar a bons resultados. A quantidade de fios transplantados ficou 62 % entre 1000 e 1999 unidades com média de 1741 unidades por sessão. Deve-se fazer o acompanhamento fotográfico e avaliar a densidade do cabelo em períodos entre 6 meses e um ano após inicio dos tratamentos.
Existem tratamentos clínicos e cirúrgicos que variam de caso a caso. Principalmente em pessoas jovens o tratamento clínico deve ser iniciado assim que o início da calvície começar a surgir progressivamente.

2) Quais as causas de perda de cabelos?

R: Existem muitas causas para queda de cabelos em homens e mulheres, porém na grande maioria das vezes, nos homens calvos a causa é a alopecia androgenética hereditária, habitualmente conhecida como calvície de padrão masculino. Para que esse tipo de calvície ocorra é necessária a presença do hormônio Dihidrotestosterona (DHT) em um homem geneticamente susceptível. Igualmente nas mulheres que sofrem de queda acentuada de cabelos é portadora de calvície hereditária de padrão feminino. Esta forma clinica ainda esta em estudos, mas a influência hormonal na calvície feminina pode ser diferente do mecanismo encontrado na calvície hereditária masculina.
Existem causas menos comuns de perdas de cabelos dentre elas temos, doenças da tireóide, deficiência de Ferro, surtos de febre alta, cirurgia ou anestesia geral, dietas de grande restrição alimentar, parto e alguns medicamentos. Pessoas com a doença de tricotilomania devem ser suspeitadas se não houver causa aparente. As perdas devido a essas patologias podem ser reversíveis, após tratamento clínico, ou suspensão do fator causal. Existem algumas doenças dermatológicas do couro cabeludo que podem resultar em perdas permanentes ou temporárias de cabelo tais como lúpus, líquen plano e alopécia areata. É exacerbada a coleção de mitos a respeito da calvície: A perda de cabelos NÃO é causada por má circulação, folículos entupidos, lavar a cabeça com freqüência, uso de chapéu ou capacete ou infestação por ácaros. É importante lembrar que a maioria dos adultos perde 75 a 125 fios de cabelo todos os dias devido ao processo natural por meio do qual algumas raízes de cabelo passam para um estado dormente (telógeno) enquanto outras raízes estão despertando desse estado e dando início ao brotar de novos cabelos (fase anágena). Enquanto esse processo permanecer equilibrado o número de fios de cabelo no couro cabeludo permanece constante. Outro fator menor para perda de cabelo, mas não menos importante nos dias de hoje é o estresse, considerado fator de aceleração da calvície geneticamente já programada. O estresse, no entanto, é bom lembrar, provavelmente não causa perda de cabelos por si só sem os genes e hormônios necessários.
Pessoas com a tendência para a calvície masculina e feminina têm a herança herdada geneticamente de ambos os lados da família e começam a manifestar após a puberdade. As raízes geneticamente susceptíveis à alopecia androgenética (geralmente nas entradas e na coroa) começam a diminuir de tamanho produzindo cabelos com o diâmetro, cada vez menor e mais curto a cada “ciclo de vida” de 3 a 5 anos até eventualmente desaparecerem. Porém, existem os cabelos da parte posterior e lateral da cabeça da maioria dos homens e mulheres que é habitualmente o “cabelo geneticamente permanente”, destinado a permanecer para o resto de sua vida. Pouquíssimas pessoas perdem cabelos nestas áreas, porém eles também podem ficar mais finos no decorrer dos anos se não houver nenhum tratamento.

3) Existe algo a ser feito para tratar a calvície masculina e feminina?

R: Homens e mulheres com rarefação capilar têm agora à sua disposição mais opções do que nunca e muito mais pesquisas.
➣ A cirurgia de restauração capilar (transplante de cabelo) oferece uma solução viva e permanente para a calvície. Associada ao tratamento clinico na maioria das vezes!
➣ Tratamentos clínicos eficazes são agora disponíveis sob a forma de comprimidos (Finasterida) e uma solução tópica (Minoxidil). Ambos devem ser usados permanentemente para que seu efeito seja mantido.
➣ Cosméticos tais como cremes corantes, spray e pós, quando aplicados ao couro cabeludo ajudam a camuflar as áreas rarefeitas desde que ainda haja algum cabelo presente. Não são tratamentos para a calvície!!!
➣ Próteses capilares (perucas) são meios não cirúrgicos para cobrir a cabeça calva. Há várias maneiras de prendê-las ao couro cabeludo. As mais comuns são: adesivos de dupla face, colas e fivelas.

4) Como é o tratamento cirúrgico?

R: Graças às técnicas mais modernas de microtransplante capilares podem-se restaurar os cabelos perdidos e repor ou mesmo remodelar a sua linha de frente com seu próprio cabelo. PORÉM, NEM SEMPRE NUMA CIRURGIA SÓ CONSEGUE-SE O RESULTADO ADEQUADO. Esse cabelo continuará crescendo naturalmente, não necessitando de nenhum cuidado além de lavar, pentear e cortar como você faz com os outros cabelos remanescentes. O microtransplante de cabelo consiste em remover uma pequena tira de pele com raízes permanentes de cabelo das áreas lateral e posterior do couro cabeludo (área doadora) e a seguir, com o auxílio de lupas ou microscópios, separar esse tecido em unidades foliculares (contendo 1 a 4 fios) ou unidades multi-foliculares (contendo 2 ou 3 unidades cada uma).
Esses verdadeiros pequenos enxertos são então meticulosamente inseridos na área calva ou rarefeita do couro cabeludo (área receptora) de forma a respeitar todos os folículos pré-existentes nessa área e na mesma orientação existente no local. Aumentando assim, a densidade da área de calvície. A criação dessas minúsculas unidades foliculares permitiu aos cirurgiões de calvície a criação de linhas frontais delicadas extremamente naturais sem aspecto abrupto nem em tufos que não devem ser mais feitos, tão comuns nos transplantes executados no passado. Alguns cirurgiões dão preferência ao uso exclusivo de unidades foliculares enquanto que outros são de opinião que, colocando unidades multi-foliculares nas áreas centrais do couro cabeludo é criada uma maior densidade central. Dependendo do grau de calvície presente são necessários 2 a 3 procedimentos com ampla variedade no número de raízes foliculares necessárias, tendo como base a área de calvície em potencial (a qual limita a área doadora “segura”), cor, textura e densidade do cabelo, tipo de técnica que será utilizada e o objetivo específico de cada paciente. Hoje em dia a cirurgia de transplante de cabelo é muito mais segura e tranquila. Em 24 horas podem-se formar pequenas crostas sobre cada enxerto; essas crostas caem aproximadamente em 4 a 14 dias. Juntamente com os cabelos enxertados, mas as raízes permanecem. As raízes transplantadas dão início ao crescimento de cabelos após 10 a 16 semanas após o procedimento, continuando a crescer pelo resto da vida. À medida que homens e mulheres envelhecem, há em geral uma diminuição da densidade dos cabelos o que acontece naturalmente também com os cabelos transplantados.

5) Quem tem indicação para realizar este procedimento?
R: Qualquer pessoa que tenha sofrido perda permanente de cabelos pode ser um candidato à cirurgia de restauração capilar, incluindo:
Homens apresentando calvície hereditária masculina
Mulheres com calvície hereditária feminina
Pessoas com áreas de cicatrizes por acidentes ou por
Doenças que deixam cicatrizes.
Pacientes que sofreram perda permanente de cabelos, após cirurgias, como por exemplo, cirurgias de rejuvenescimento facial
Pacientes que sofreram queimaduras no couro cabeludo dependendo da área doadora e da área receptora do micro transplantes capilar
Pessoas que desejam aumentar a densidade ou restaurar suas sobrancelhas, cílios e barba
Homens e mulheres que desejam ter cabelos ou pelos em áreas rarefeitas.

6) Como é realizada a cirurgia de micro transplante capilar?
R: Sendo uma cirurgia ambulatorial com o paciente indo embora no mesmo dia, torna o procedimento bem seguro. A anestesia é feita com anestesia local e sedação, na grande maioria dos casos, o paciente permanece monitorado e aos cuidados da equipe de anestesia todo o tempo necessário. Os transplantes podem durar de 3 a 8 horas. Dependendo do planejamento cirúrgico da quantidade a ser transplantada e do treinamento da equipe. Lembrando que o maior tempo cirúrgico e a demora no micro transplante tornam o resultado menos efetivo. Portanto, não adianta querer fazer toda área calva numa única cirurgia. Os pacientes frequentemente permanecem acordados ou sonolentos sentindo-se confortáveis, por estarem relaxados devido aos efeitos da sedação. A cirurgia tende a ser bem tranquila. O cirurgião e sua equipe explicarão os prós e contras de várias técnicas de microtransplantes.
A cirurgia de maneira geral é confortável. As áreas doadoras, de onde foram colhidas as raízes são fechadas com fios de sutura. Os fios de sutura são em geral removidos de 7 a 14 dias. Podem ser usadas suturas absorvíveis com o objetivo de dispensar o retorno do paciente para sua remoção.
As raízes são colocadas na região receptora em diminutas incisões feitas com agulhas ou micro cortes na pele do couro cabeludo com lâminas. O cirurgião e sua equipe explicarão ao paciente os prós E contras das várias técnicas de transplante. Ao término da cirurgia, é aplicado um curativo leve, ou mesmo, sem curativos algum, após um período de observação o paciente é dispensado, sempre com algum acompanhante. Na conclusão do procedimento o cirurgião habitualmente checa os enxertos colocados e fornece as instruções pós-operatórias verbalmente e por escrito.

FONTE DOS DADOS – International Society of Hair Restoration Surgery • www.ishrs.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *