Mitos e verdades sobre queda capilar (calvície)

1 – Lavar o cabelo todos os dias causa queda de cabelos?
R: Não. O hábito de lavar os cabelos diariamente, pelo contrário, auxilia em diminuir doenças do couro cabelo como: a dermatite seborréica, causadora das caspas, a oleosidade dos fios e outras dermatites, que favorecem no aumento da queda capilar.

2 – É normal cair o cabelo diariamente?
R: Sim. É normal e faz parte do equilíbrio fisiológico do ciclo capilar que compreende em fase de crescimento (fase Anágena), permanência (Fase Catágena) e queda (Fase Telógena). Normalmente cai entre 80 e 120 fios de cabelo, isto variando, de homem para mulheres sendo maior nas mulheres. Quando ocorre queda exagerada evidenciada, nos travesseiros, no Box do banheiro e também visualmente na densidade, deve-se procurar um médico cirurgião plástico – especialista em calvície pela (ABCRC) ou um dermatologista, pois este ciclo natural pode estar alterado e deve-se iniciar investigação e tratamento, o quanto antes.

3 – Fatores emocionais podem influenciar na queda de cabelos?
R: Sim. Estados depressivos, estresse exacerbados, noites mal dormidas, podem influenciar no ciclo de vida natural do cabelo bem, como diminuir a ingestão de nutrientes importantes para a fisiologia do cabelo, aumentando a fase de queda (isto conhecido como Eflúvio Telógeno) que deve ser por um período, em torno de 6 meses. Após este período e eliminando a causa do estresse emocional, devem-se investigar outras causas da queda capilar prolongadas.

4 – Como é herdado o gene para calvície?
R: A calvície sabe-se hoje, que é poligênica, ou seja, tem associação com fatores herdados das famílias de mãe e pai.

5 – Usar boné faz cair cabelos?
R: O uso normal de boné não faz cair cabelo, o quê ocorre que o uso exagerado de boné agrava doenças dermatológicas como a dermatite seborréica, que podem ser coadjuvantes na queda capilar.

6 – Quais as causas de queda de cabelo?
R: A causa mais comum de queda de cabelo nos homens é a alopecia androgenética hereditária, a perda de cabelos de origem paterna nas mulheres (também de origem genética), alopécia areata de origem imunológica, eflúvio telógeno (causa mais comum nas mulheres) onde 30 a 50 % da queda ocorre até 3 meses, após um fator desencadeante, eflúvio anágeno, que ocorre em mais de 90 % dos casos após quimioterapia, infecções fúngicas, tricotilomania (distúrbio comportamental), doenças da tireóide, cicatriciais, e outras mais raras. Através da história clínica, do exame físico e em alguns poucos casos, exames laboratoriais e biópsias, podemos chegar a um diagnóstico. De acordo com o diagnóstico fazer o tratamento mais adequado.

7 – Queda Capilar tem tratamento?
R: Sim. Quanto mais cedo for identificado, por um cirurgião plástico especialista em calvície ou um dermatologista a causa ou os fatores causais para esta queda capilar, melhor serão os resultados a médio e curto prazo. Lembrando que a calvície, na sua grande maioria e uma doença genética, que deve ser tratada em longo prazo, exceto, são as doenças especificas do couro cabeludo já citadas.

8 – Quais os tratamentos existentes para queda capilar?
R: Dentre as medicações, desde 1997 já nos EUA, existia o uso da finasterida 1mg com bons resultados, inclusive ajudando no crescimento pós-operatório do microtransplante capilar. O uso do minoxidil tópico e do laser de baixa frequência, também tem suas indicações. Outros tratamentos como suporte nutricional e shampoos, podem ser úteis, porém deve ser avaliado em cada caso. Como por exemplo, o uso de shampoos anti-caspas, em pessoas com dermatite seborréica, que favorece a queda capilar. Outra forma de restauração capilar é o microtransplante capilar, onde alguns cabelos do couro cabeludo, que não possuem o gene para quedas, são transplantados para áreas de baixa densidade. O transplante capilar – microtransplante folicular é uma cirurgia pouco agressiva e que produz resultados muito naturais, quando realizado por uma equipe bem treinada.

9 – Como é a Cirurgia de restauração Capilar?
R: A cirurgia é realizada de maneira ambulatorial com paciente submetido à anestesia local associado a uma sedação para melhor conforto do mesmo, tempo cirúrgico em torno de 5 a 8 horas, portanto transcorrendo tudo bem o paciente irá dormir na sua casa. E retirado uma faixa de cabelo da região posterior da cabeça, realizado a sutura e em seguida as unidades foliculares contendo de 1 a 4 fios são cortadas por profissionais bem treinados. Em seguida o cirurgião começa a colocar os microenxertos de cabelo de maneira natural na área da calvície. Cerca de 20 a 45 dias após o procedimento, os cabelos transplantados irão cair em quase sua totalidade e novos cabelos irão crescer entre 4 e 8 meses de pós-operatório, trazendo um resultado bem agradável e muito natural quando realizado por uma equipe qualificada. Não existe até os dias de hoje um tratamento único isolado. E a combinação dos mesmos é que acarreta em resultados satisfatórios para pacientes e médicos

10 – Como e a recuperação desta cirurgia?
R: Na sua grande maioria, o paciente vai embora para casa no mesmo dia da cirurgia, sendo esta ambulatorial, e já podem voltar ao trabalho em 3 dias, com um repouso relativo neste período, ocorre pouco inchaço e pouca dor local, principalmente na primeira semana. Atividade física mais intensa deve ser evitada, no primeiro mês, porém deve ser avaliado, cada caso, com seu medico cirurgião.

11 – Esta cirurgia é muito cara e traz bons benefícios?
R: Por se tratar de uma cirurgia um pouco prolongada e haver a necessidade de uma equipe completa, com anestesista, técnicos no preparo dos fios, sala de centro cirúrgico, existe um custo um pouco alto, sendo que no Brasil e inferior a de outros países, porém os benefícios são muitos, com os custos compatíveis a de uma plástica facial. A cirurgia de restauração capilar acarreta, na sua grande maioria das vezes, num rejuvenescimento, sem cortes no rosto, pois os cabelos fazem parte da harmonia corporal como um todo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *